v. 81 n. 319 (2021): Fraternidade Humana

Relações humanas – assunto em destaque neste número da REB. Somos, pois, convidados a nos situar na antropologia, especificamente, no contexto existencial das relações entre as pessoas e grupos sociais. E o que leva ao destaque e a seu interesse é a atual profunda e acelerada transformação cultural protagonizada pela sociedade humana, não sem paradoxos e conflitos. Nesse efervescente caldo da convivência humana, não raro dramático, o Papa Francisco levanta a bandeira de um aporte propositivo, através da Carta Encíclica Fratelli Tutti. Em termos gerais, esse aporte se dá na e pela valorização da convivência, ou seja, da vida em sociedade. E as contribuições assinaladas neste número da REB, três delas diretamente referentes à Fratelli Tutti, realçam um (1) pressuposto e duas (2) proposições. Aquele, ancorado na dignidade humana, movimenta-se em abrangência “católica”, ou seja, humana. A dignidade do ser humano, em termos ideais, é o eixo que pode conjugar a diversidade de pessoas e culturas. E o diálogo é a primeira característica desse eixo, embora, aqui, restrito ao âmbito inter-religioso. Ele pressupõe o reconhecimento da dignidade humana. Por isso, atitude de escuta e respeito. A segunda característica do referido eixo é a predileção paterna/materna aos mais fragilizados. Aqui ela vem atribuída como realce na experiência de Francisco de Assis. Mario de Franca Miranda, Wagner Lopes Sanchez e Martin Carbajo Nuñez são os autores que nos proporcionam estes closes da Encíclica Fratelli Tutti. Luiz Henrique Brandao de Figueiredo não se refere diretamente à Encíclica, mas, percorrendo a Sagrada Escritura a partir do atual contexto relacional, apresenta o permanente conflito humano e, nele, o profético mandato cristão do amor fraterno. E, por fim, tendo como pano de fundo em retrospectiva histórica a dramática experiência da Segunda Guerra Mundial, Gilbraz de Souza Aragao e Ana Paula Cavalcante Luna de Andrade apresentam o diálogo como norte do Movimento dos Focolares. Assim, também e de modo especial hoje, tanto uns como outros, a partir da dignidade humana, entre sinais de morte, são convidados a buscar e a usufruir caminhos da vida.

O sistema tributário brasileiro, a partir de 1Sm 8, 10-18 é denunciado por Alvori Ahlert como injusto e perverso, pois aumenta a assimetria entre a minoria rica e a ampla maioria pobre e coloca em risco o desenvolvimento sustentável. Ainda no contexto da economia relacionada à primazia do humano, Lucia Maria Barbosa de Oliveira e Maria de Fatima da Nobrega Torres, sintetizam a orientação da Igreja católica em relação ao que ela entende por liderança humanizada na gestão empresarial.

Jose Reinaldo Felipe Martins Filho e Daniel Carvalho da Silva extraem da Ata do martírio do padre João Bosco Penido Burnier, de Pedro Casaldáliga, as características de quem, à semelhança de Jesus, consagra sua vida em prol do anúncio do Reino e da denúncia do antirreino.

Como veículos de comunicação social não confessionais caracterizaram a presença da Igreja católica no espaço público é o que demonstram Joao Miguel Teixeira de Godoy e Araripe Valderi Perez Castilho, por ocasião da visita do Papa Francisco ao Brasil, em 2013.

Rito: ação simbólica que organiza a experiência de sentido do homem no mundo, onde o acento cai mais na ação do que na “simbólica” da ação; é no rito que a vida se dá em sua totalidade.

Cf. esta instigante sinalização do ser humano nas palavras de Manoel Pacheco de Freitas Neto.

Cadastre-se – <http://reb.itf.edu.br> – e usufrua da REB on-line.

Eloi Dionisio Piva ofm

Redator

Publicado: 2021-06-28

Recensões