v. 59 n. 234 (1999): A Igreja do Novo Milênio

O limiar do terceiro milênio da era cristã nos convida à consideração de que cada instante de autoconsciência está situado pela conjugação das coordenadas de espaço e tempo. Enquanto Igreja, este convite situado nos relaciona com a graça de testemunhar, no aqui e agora de cada instante e no vigor do Espírito Santo, a Boa-Nova de Deus em Jesus Cristo. Na acolhida da oportunidade de cada instante acontece o brilho da experiência humana. É nesta experiência que em muitos corações emergem a gratidão, a reavaliação e, principalmente, o sonho. Gratidão pela herança recebida e pela colaboração prestada; reavaliação pelas oportunidades desperdiçadas ou mal aproveitadas; sonho pelas novas oportunidades de sincera comunhão com Deus e de eficaz desempenho na construção da fraternidade humana. Sonhar é preciso, pois sonhar é rever e ousar; sonhar é ato primeiro de generosa consagração à causa da Vida.

Neste sentido e neste fascículo, a REB apresenta a contribuição elaborada por Vítor Galdino Feller. Ele colhe o impulso despertado no limiar do terceiro milênio e nos lança, fiéis à Tradição apostólica, na atualização do Reino de Deus, caracterizando-o com as linguagens culturais de nossos dias e com a luta contra o pecado e suas consequências. Qual é a Igreja que desejamos?

Em linha de continuidade, a REB também apresenta o trabalho de Luiz Alves de Lima. Trata-se de uma introdução a novas e atuais maneiras de Anúncio. Buscando ótica latino-americana, o A. situa o Novo Diretório Geral da catequese no amplo trabalho realizado pela Igreja em sua elaboração. Assim, ajuda-nos a entender as intuições deste esforço comunitário de maneira criativa e participativa.

Retomando tesouros da Tradição cristã, Leonardo Meulenberg, por sua vez, reapresenta dois aspectos da atuação de Santo Ambrósio, bispo de Milão: a conjugação do saber humano com a revelação divina e a solidariedade cristã. Se a semelhança e a atualidade dos desafios nos surpreendem, a lucidez e a coragem proféticas de Ambrósio nos encantam.

Com Orlando Bernardi direcionamos nossa atenção para um dos santos mais populares da tradição católica luso-brasileira: S. Antônio. Perguntando por seu “franciscanismo”, o A. analisa sua relação entre fidelidade ao carisma do fundador e dedicação à missão da Igreja. Esta relação poderia inspirar a relação entre congregações religiosas e Igreja, também para o novo milênio.

Finalmente, o texto de João Marcos Leitão Santos. Trata-se de um convite para “ver”, com objetividade e simpatia, a história cristã de nossa terra. É um feliz auspício para o terceiro milênio.

Elói Dionísio Piva, ofm

Redator

 

Publicado: 2020-12-30

Crônica

Necrologia

Apreciações

Dissertações e Teses

Novidades Editoriais

Pelas Revistas