A guerra de drones autônomos

  • Martín Carbajo-Núñez

Resumo

Recentemente, um drone armado tomou automaticamente a decisão de atacar tropas inimigas na Guerra da Líbia, sem aguardar uma intervenção humana. A Rússia também é suspeita de utilizar tais robôs na guerra contra a Ucrânia. Esta notícia colocou em relevo a possibilidade de novos cenários bélicos e de mudanças fundamentais na natureza dos conflitos. A partir da perspectiva cristã, o presente artigo analisa estes novos desafios, indicando as bases antropológicas e éticas que deveriam levar à proibição dos “robôs assassinos” e, em geral, à superação da doutrina da guerra justa. Assinala-se, outrossim, a importância de Francisco de Assis, a quem a Encíclica Fratelli Tutti novamente propôs como modelo, para se alcançar uma humanidade fraterna e pacificada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Martín Carbajo-Núñez

Martín Carbajo Núñez, OFM, é doutor em teologia moral (Academia Afonsiana, Roma), licenciado em filologia germânica (Univ. Santiago de Compostela), mestre em comunicação social (Univ. Gregoriana, Roma) e técnico informático qualificado em informática de gestão. É professor extraordinário na Pontifícia Universidade Antonianum (Roma), onde detém a Cátedra de Ética Social. Atualmente ele ensina ética e comunicação em três universidades; duas em Roma: Antonianum (PUA) e Alfonsianum (PUL) e uma nos EUA: a FST, filiada à Univ. San Diego (Califórnia). Na PUA, foi Vice-Reitor e Reitor Magnifico ad interim por três anos.

Publicado
2022-07-21
Como Citar
Carbajo-Núñez, M. (2022). A guerra de drones autônomos. Revista Eclesiástica Brasileira, 82(322), 424-443. https://doi.org/10.29386/reb.v82i322.4237