A desmitificação dos mitos de Adão e de Édipo baseada em Paulo Freire

  • Evaldo Luís Pauly

Resumo

A análise da desmitificação proposta por Paulo Freire nos anos 60 permanece conveniente para os atuais desafios da pedagogia do oprimido e da teologia da libertação? Fundamenta essa análise a interpretação demitologizante de dois mitos: a família de agricultores Adão e Eva na Babilônia e a família real de Édipo em Tebas. O mito de Adão e Eva pertence à resistência contra a tributação agrícola e ao recrutamento militar. Édipo é um mito de resistência contra a tirania no governo da polis. O artigo faz uma reflexão político-pedagógica ao interpretar os dois mitos pelo método do tema gerador da Pedagogia do Oprimido. A conclusão é que a desmitificação desses dois mitos pode desencadear o processo de formação da consciência crítica dos oprimidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Evaldo Luís Pauly

Doutor em Educação pela UFRGS (2000). Mestre (1993) e Bacharel (1985) em Teologia pela Faculdades EST de São Leopoldo/RS. Foi docente no PPG em Teologia da EST de 2000 a 2005; da Universidade La Salle de Canoas/RS, de 2005 até aposentar-se em 2020. Foi Coordenador (2014-2015) do Fórum Sul (FORPRED/Sul) da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPED). Atuou no Centro Ecumênico de Documentação e Informação (CEDI), de 1984 a 1989. Foi pastor da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), na Paróquia São Marcos, em Porto Alegre/RS, de 1985 a 1996.

Publicado
2022-07-21
Como Citar
Pauly, E. L. (2022). A desmitificação dos mitos de Adão e de Édipo baseada em Paulo Freire . Revista Eclesiástica Brasileira, 82(322), 264-288. https://doi.org/10.29386/reb.v82i322.4230