A questão do gênero no pós-estruturalismo e a autonomia da mulher

Reflexão bioética

  • Maria Emilia de Oliveira Schpallir Silva

Resumo

O pós-estruturalismo tem por característica marcante a desconstrução, operação crítica que se contrapõe às oposições binárias, entre elas a oposição hierárquica entre homens e mulheres, o que o faz ter uma relação direta com o feminismo e de onde surge o conceito de gênero, significado cultural assumido pelo corpo sexuado. O objetivo deste estudo é verificar o alcance do conceito gênero para o empoderamento da autonomia da mulher e consiste em um levantamento bibliográfico hermenêutico argumentativo. Responder de uma maneira ética às questões sobre a sexualidade e identidade, implica que a mulher recupere a verdadeira autonomia. A concepção de gênero pressupõe que a oposição binária homem-mulher implica necessariamente relações de poder que ferem essa autonomia. Conclui-se que o conceito gênero fragmenta a concepção de mulher, não empoderando sua autonomia, o que se dá pela afirmação de sua identidade, detentora dos mesmos direitos, respeito e igualdade, mesmo na diversidade sexual decorrente da reprodução sexuada da espécie.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Emilia de Oliveira Schpallir Silva

Doutora em Bioética pelo Centro Universitário São Camilo, Médica especialista em Coloproctologia pela Sociedade Brasileira de Coloproctologia (SBCP), especialista em Bioética pela Faculdade de Medicina da USP, graduada em Teologia pela PUC-CAMP, membro da Comissão de Bioética da CNBB. No Centro Universitário São Camilo (SP/SP), sob a orientação do prof. Márcio Fabri dos Anjos, participa do grupo de pesquisa: Fundamentos da Bioética na Atividade Profissional, sendo a linha de pesquisa: Fundamentos da Bioética.

Publicado
2020-12-10
Como Citar
Silva, M. E. de O. S. (2020). A questão do gênero no pós-estruturalismo e a autonomia da mulher: Reflexão bioética. Revista Eclesiástica Brasileira, 80(317), 583-608. https://doi.org/10.29386/reb.v80i317.2240