“O homem assumido”: uma ‘teo-antropologia’ de Duns Scotus

Johannes Baptist Freyer

Resumo


Qual a imagem que Duns Scotus se faz de ser humano? Respondendo, o Autor a situa em sua visão teológica da Criação: Deus criou o ser humano na e para a liberdade, vale dizer, por puro amor e com a possibilidade dele responder livre e gratuitamente. Desta liberdade de Deus deriva, pois, a liberdade do ser humano, sua autonomia e seu ser pessoa. E a plena realização encontra-a em Jesus Cristo, enquanto plenamente assumido por Deus e enquanto, por sua igualmente plena entrega ao Pai, se dedica amorosa e totalmente aos outros e a todas as criaturas.

Abstract: What is the image that Duns Scotus makes of the human being? In answer, the Author places it in his theological view of the Creation: God created the human beings free and for freedom, that is to say, from sheer love and giving them the possibility of answering freely and gratuitously. From this freedom from God derives, therefore, the freedom of human beings, their autonomy and their being a person. And the plenitude of fulfillment they find in Jesus Christ as a being completely assumed by God and who, in view of his equally complete surrender to the Father, devoted himself lovingly and totally to the other human beings and to all creatures.


Palavras-chave


Duns Scotus; Criação.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.29386/reb.v68i272.1410

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Eclesiástica Brasileira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Instituto Teológico Franciscano
Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil