Religião, corpo e performance. Um olhar sobre algumas liturgias nacionais

  • Ari Pedro Oro Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Marcelo Tadvald Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Religião, Corpo, Performance, Brasil

Resumo

Resumo: Este texto analisa como o corpo é agenciado em três expressões religiosas nacionais, a saber: o evangelismo (Igreja Universal do Reino de Deus), o espiritismo kardecista e as religiões de matriz africana (Batuque). Para tanto, recuperamos nossos dados etnográficos e apresentamos elementos que contribuem para uma reflexão mais ampla sobre a temática dentro de um contexto religioso tão rico e multifacetado como o brasileiro. A existência de múltiplas e diferentes presenças corporais nos espaços sagrados sugere uma constante vigilância epistemológica para que nenhuma religião tente absolutizar o seu uso do corpo como sendo a expressão do sagrado por excelência.

Palavras-chave: Religião. Corpo. Performance. Brasil.

Abstract: This text analyzes how the body is organized in three national religious expressions, namely: evangelism (Universal Church of the Kingdom of God), Kardecist spiritualism and the religions of African matrix (Batuque). To do so, we recover our ethnographic data and present elements that contribute to a broader reflection on the theme within a religious context as rich and multifaceted as the Brazilian. The existence of multiple and different bodily presences in the sacred spaces suggests a constant epistemological vigilance so that no religion tries to absolutize its use of the body as being the expression of the sacred par excellence.

Keywords: Religion. Body. Performance. Brazil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ari Pedro Oro, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Possui doutorado em Antropologia – Estudos da América Latina, pela Universidade de Paris III – Sorbonne Nouvelle e mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. É professor titular da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e membro do Núcleo de Estudos da Religião (NER-UFRGS). Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Antropologia da Religião, atuando principalmente com os seguintes temas: pentecostalismo, religiões afro-brasileiras, religião e política e transnacionalização religiosa.
Marcelo Tadvald, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Possui doutorado e mestrado em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atua como pós-doutorando, docente e pesquisador associado ao Núcleo de Estudos da Religião (NER-UFRGS) e dos Grupos de Pesquisa do CNPq: Antropologia e Direitos Humanos e Transnacionalização evangélica brasileira para a Europa. Tem experiência na área da Antropologia, com ênfase em Antropologia da Religião, política e direitos humanos, além de atuar em temas relacionados à identidade social e grupos terapêuticos e de ajuda-mútua.

Referências

ALMEIDA, R. A guerra das possessões. In: ORO, A.P. et al. (Org.). Igreja Universal do Reino de Deus: os novos conquistadores da fé. São Paulo: Paulinas, 2003. p. 321-342.

BURITY, J. Religião, voto e instituições políticas: notas sobre os evangélicos nas eleições 2002. In: BURITY, J; MACHADO, M.D. (Org.). Os votos de Deus: evangélicos, política e eleições no Brasil. Recife: Fundação Joaquim Nabuco; Ed. Massangana, 2006. p. 173-210.

BURITY, J; MACHADO, M.D. (Org.). Os votos de Deus: evangélicos, política e eleições no Brasil. Recife: Fundação Joaquim Nabuco; Ed. Massangana, 2006.

BUTLER, J. Deshacer el género. Barcelona: Paidós, 2006.

CAMPOS, L.S. O complicado “governo dos justos”: avanços e retrocessos do número de deputados federais evangélicos eleitos em 2006 e 2010. Debates do NER, Porto Alegre, v. 11, n. 18, p. 39-82, 2010.

CAVALCANTI, M.L.V.C. Vida e morte no Espiritismo Kardecista. Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, v. 24, n. 2, p. 11-27, 2004. CORRÊA, N.F. O Batuque do Rio Grande do Sul: antropologia de uma religião afro-rio-grandense. São Luis: Cultura e Arte, 2006.

COSTA, E.V. da. Da senzala à colônia. São Paulo: Editora da UNESP, 1998.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes, 2001.

_______. Nascimento da Biopolítica. Curso no Collège de France (19781979). São Paulo: Martins Fontes, 2008.

_______. Microfísica do poder. São Paulo: Record, 2014.

GADAMER, H.-G. Verdade e método. Petrópolis: Vozes, 2004.

GOLDMAN, M. A possessão e a construção ritual da pessoa no candomblé. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social do Programa e Pós-Graduação em Antropologia Social, Museu Nacional) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, 1984.

LE BRETON, D. Antropología del cuerpo y modernidad. Buenos Aires: Nueva Visión, 2002.

LEACH, E. Sistemas políticos da alta Birmânia: um estudo da estrutura social kachin. São Paulo: EDUSP, 1996.

LEWGOY, B. O grande mediador: Chico Xavier e a cultura brasileira. Bauru: EDUSC, 2004.

MAUSS, M. As técnicas do corpo. In: MAUSS, M. Sociologia e Antropologia. São Paulo: Cosac e Naify, 2003. p. 399-422.

ORO, A.P. Neopentecostais e afro-brasileiros: quem vencerá esta guerra? Debates do NER. Porto Alegre, v. 1, n. 1, p. 10-37, 1997.

_______. Neopentecostalismo: dinheiro e magia. Revista Ilha, Florianópolis, v. 3, n. 1, p. 71-85, set. 2001.

_______. Religiões Afro-Brasileiras do Rio Grande do Sul: passado e presente. Estudos Afro-Asiáticos, Rio de Janeiro, v. 24, n. 2, p. 345-384, 2002.

_______. Intolerância religiosa iurdiana e reações afro no Rio Grande do Sul. In: SILVA, V.G. da (Org.). Intolerância religiosa: impactos do neopentecostalismo no campo religioso afro-brasileiro. São Paulo: EDUSP, 2007. p. 29-69.

_______. As religiões afro-brasileiras do Rio Grande do Sul. Debates do NER. Porto Alegre, v. 9, n. 13, p, 09-24, 2008.

_______; MARIANO, R. Eleições 2010: religião e política no Rio Grande do Sul e no Brasil. Debates do NER, Porto Alegre, v. 11, n. 18, p. 11-38, 2010.

PRANDI, R. As religiões afro-brasileiras e seus seguidores. Civitas. Porto Alegre, v. 3, n. 1, p. 15-34, jun. 2003.

REINHARDT, B. Espelho ante espelho: a troca e a guerra entre o neopentecostalismo e os cultos afro-brasileiros. Salvador; São Paulo: CNPq/ Pronex; Attar Editorial, 2007.

SEGATO, R.L. Santos e daimones: o politeísmo afro-brasileiro e a tradição arquetipal. Brasília: Editora da UnB, 2005.

SEGATO, R.L. La nación y sus otros: raza, etnicidad y diversidad religiosa en tiempos de Políticas de la Identidad. Buenos Aires: Prometeo Libros, 2007.

_______. La guerra contra las mujeres. Madrid: Traficantes de Sueños, 2016.

SILVA, V.G. da. Candomblé e Umbanda: caminhos da devoção brasileira. São Paulo: Summus; Selo Negro, 2005.

_______. (Org.). Intolerância religiosa: impactos do neopentecostalismo no campo religioso afro-brasileiro. São Paulo: EDUSP, 2007.

TADVALD, M. Corpo e possessão na teodiceia racionalista do espiritismo kardecista. Ciencias Sociales y Religión/Ciências Sociais e Religião, Porto Alegre, v. 9, n. 9, p. 117-139, set. 2007.

_______. Exorcismo e corpos-territórios: notas sobre possíveis marcos interpretativos da transnacionalização religiosa. Revista Nures, São Paulo, v. 8, n. 20, p. 01-08, 2013.

_______. Veredas do sagrado: Brasil e Argentina no contexto da transnacionalização religiosa. Porto Alegre: Cirkula, 2015.

_______. O batuque gaúcho: notas sobre a história das religiões afro-brasileiras no extremo sul do Brasil. In: DILLMANN, M. (Org.). Religiões e religiosidades no Rio Grande do Sul. v. 4: matriz afro-brasileira. São Paulo: ANPUH, 2016. p. 141-168.

TAVOLARO, D. O bispo. A história revelada de Edir Macedo. São Paulo: Larousse, 2007.

TURNER, V. O processo ritual: estrutura e antiestrutura. Petrópolis: Vozes, 2013.

TURNER, B.S. Corpo e sociedade. São Paulo: Ideias e Letras, 2014.

VAN GENNEP, A. Os ritos de passagem. Petrópolis: Vozes, 2013.

VERGER, P. La notion de personne en Afrique noire. Paris: CNRS, 1981.

Publicado
2017-08-07
Como Citar
Oro, A. P., & Tadvald, M. (2017). Religião, corpo e performance. Um olhar sobre algumas liturgias nacionais. Revista Eclesiástica Brasileira, 77(306), 264-281. https://doi.org/10.29386/reb.v77i306.79