O inferno. Questão ainda pertinente?

  • Antonio Alves de Melo
Palavras-chave: Salvação, Inferno, Apocatástase, Predestinação, Esperança.

Resumo

Por muito tempo a pregação em torno do inferno distorceu a compreensão e a vivência da fé, contribuindo assim para a pastoral do medo. Atualmente pesa quase um silêncio em torno do assunto. Não obstante os equívocos do passado apoiados na pastoral do medo, a questão não pode ser silenciada, embora não seja central no anúncio do Evangelho. As Sagradas Escrituras anunciam a vontade salvífica universal de Deus por meio de Jesus Cristo agindo no Espírito Santo, mas não escondem a misteriosa possibilidade de uma recusa por parte do ser humano. Na reflexão teológica foram influentes a apocatástase e a predestinação. O debate prossegue. A esperança de salvação para todos não pode fazer-nos fechar os olhos para aquelas pessoas e grupos humanos, especialmente ricos e poderosos, em cujo agir transparece uma íntima sintonia com o mistério da iniquidade e sua multiforme ação na história. O anúncio da esperança de uma salvação universal deve acontecer sempre em primeiro lugar, mas acompanhada do alerta em relação a uma entrega definitiva e total ao mistério da iniquidade, entrega que se inicia nas ações e decisões cotidianas.

Abstract: For a long time the preaching about hell distorted the comprehension and the experience of the faith, thus contributing for a pastoral of fear. At present, there is almost silence around the subject. In spite of the mistakes of the past based on the pastoral of fear, the issue cannot be silenced, even if it is not central in the announcement of the Gospel. The Sacred Scriptures announce God’s will of universal salvation through Jesus Christ acting upon the Holy Spirit, but they do not hide the mysterious possibility of a refusal on the part of the human being. In the theological reflection the apocatastasis (the ultimate salvation of all human beings) and the predestination were influent. The debate continues. The hope of salvation for all cannot let us close our eyes to those people and human groups, especially the rich and powerful, whose actions show an intimate harmony with the mystery of the iniquity and its manifold action on history. The announcement of the hope in a universal salvation must always happen in the first place, but followed by a warning with regard to a definite and total surrender to the mystery of the iniquity, a surrender that begins in the everyday actions and decisions.

Keywords: Salvation: Hell; Apocatastasis; Predestination; Hope.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Alves de Melo
Doutor em Teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana.

Referências

BARTH, K. Dádiva e louvor. Artigos selecionados. Seleção e prefácio de W. Altamann. São Leopoldo, Sinodal, 1986.

BEGASSE DE DHAEM, A. Théologie de la filiation et universalité du salut. L’antropologie théologique de Joseph Wresinski. Paris: Cerf, 2011; recensão de: J. B. Lecuit. Recherches de Science Religieuse, Paris, v. 101, n. 2, 268-269, 2013.

BEGASSE DE DHAEM. A. La “théologie de la filiation” de Joseph

Wresinski. Nouvelle Révue Théologique, Bruxelles, v. 134, n. 1, p. 38-57, 2012; recensão de: J. B. Lecuit. Recherches de Science Religieuse, Paris, v. 101, n. 2, 268-269, 2013.

BEINERT, W.; STUBENRAUCH, B. (Ed.). Novo léxico da teologia dogmática católica. Trad. de M.S. Hediger. Petrópolis: Vozes, 2015.

BERGER, P. Um rumor de anjos. 2. ed. rev. Petrópolis: Vozes, 1997.

BOFF, L. Vida para além da morte. Petrópolis: Vozes, 1973.

COENEN, L.; BROWN, C. (Org.). Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento. v. II/I. 2. ed. São Paulo: Vida Nova, 2000.

CARVALHO, E.L.T. de. A missão Ibiapina. Passo Fundo: Gráfica Editora Berthier, 2008.

COMBLIN, J. Instruções espirituais do padre Ibiapina. São Paulo: Paulinas, 1984.

DENZINGER H.; HÜNERMANN, P. (Org.). Compêndio dos símbolos,

definições e declarações de fé e moral. Trad. J. Konings e J. Marino. São Paulo: Loyola: Paulinas 2007.

DESROCHERS, G.; HOORNAERT, E. (Org.). Padre Ibiapina e a

Igreja dos pobres. São Paulo: Paulinas, 1984.

ELLUIN, J. Quel enfer? Paris: Cerf, 1994.

FEINER, J.; LOEHRER, M. Misterium Salutis. v. IV/8. Petrópolis: Vozes, 1978.

FONSECA, J. Música ritual de exéquias. Uma proposta de enculturação. Belo Horizonte: O Lutador; Apostolado Litúrgico, 2010. Recensão

de: Pereira, N. B. Revista Eclesiástica Brasileira, Petrópolis, v. 71, n. 284, p. 992, 2011.

FRIES, H. (Dir.). Dicionário de teologia. v. 4. São Paulo: Loyola, 1970.

HENNAUX, J.M. “Théologie de la filiation et universalité du salut”. À propôs d’un ouvrage récent, Nouvelle Révue Théologique, Bruxelles, v. 134, n. 1, p. 111-120, 2012

HOORNAERT, E. (Ed.). Crônica das Casas de Caridade fundadas pelo padre Ibiapina. Transcrição, intr. e notas de I. Silveira; Intr. Também de E. Hoornaert. São Paulo: Loyola, 1981.

IGREJA CATÓLICA. Catecismo da Igreja católica. Petrópolis: Vozes; São Paulo: Paulinas; Loyola; Ave Maria, 1993.

KASPER, W. Misericordia. Concetto fondamentale del vangelo – chiave della vita Cristiana. Brescia: Queriniana, 2013 [Em português: A misericórdia. Condição fundamental do Evangelho e chave da vida cristã. Trad. do original alemão de B.L. Gomes. São Paulo: Loyola, 2015].

KOUBETCH, V. Da criação à parusia. Linhas mestras da teologia

oriental. São Paulo: Paulinas, 2004.

KRUIJEN, C. Peut-on espérer un salut universel? Étude critique d’une opinion théologique contemporaine concernant la damnation. Paris: Parole et Silence, 2017.

LACOSTE, J.-Y. (Dir.). Dicionário crítico de teologia. Trad. de P. Meneses et al. São Paulo: Loyola; Paulinas, 2004.

LE GOFF, J. A civilização do ocidente medieval. Bauru: EDUSC, 2005.

MARIZ, C. Ibiapina, um apóstolo do Nordeste. 2. ed. João Pessoa: Universitária UFPB, 1980.

MARTINI, C.M.; SPORSCHILL, G. Diálogos noturnos em Jerusalém.

Sobre o risco da fé. Rio de Janeiro: PUC-RJ; São Paulo: Paulus, 2008.

MÜLLER, G.L. Dogmática católica. Petrópolis: Vozes, 2015.

ORÍGENES. Princípios. Trad. de J.E.P.B. Lupi. São Paulo: Paulus,

(Patrística, 30).

PESCH, O.H. Tommaso d´Aquino – limiti e grandezza della teologia medievale. Una introduzione. Brescia: Queriniana, 1994.

PETERS, G. I Padri della Chiesa. v. 1. Roma: Borla, 1984.

QUASTEN, J. Patrologia. v. I. Madrid: BAC, 1984.

QUEIRUGA, A.T. O que queremos dizer quando dizemos “inferno”? São Paulo: Paulus, 1996.

RAHNER, K. Curso fundamental da fé. São Paulo: Paulinas, 1989.

RAHNER, K.; DARLAP, A. (Ed.). Sacramentum mundi. Enciclopédia

teológica, v. 1. Trad. do al. Barcelona: Herder, 1972.

RUBIO, A.G. Elementos de antropologia teológica. Salvação cristã: salvos de quê e para quê? 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

SCHNEIDER, T. (org.), Manual de Dogmática. v. II. Petrópolis: Vozes, 2000.

SESBOUÉ, B. (Dir.). História dos dogmas. t. 2. O homem e sua salvação. São Paulo: Loyola, 2003.

SESBOUÉ, B. L´Enfer est-il éternel? Recherches de Science Religieuse, Paris, v. 87, n. 2, p. 189-206, 1999.

VON RAD, G. Teologia do Antigo Testamento. v. 2. São Paulo: ASTE, 1974.

VORGRIMLER, H.; RAHNER K. Experiência de Deus em sua vida e

em seu pensamento. São Paulo: Paulinas, 2006.

Publicado
2020-06-18
Como Citar
Melo, A. A. de. (2020). O inferno. Questão ainda pertinente?. Revista Eclesiástica Brasileira, 80(315), 161-184. https://doi.org/10.29386/reb.v80i315.2027
Seção
Temas Variados