A festa como maquinaria dos corpos. A política eugênica nacionalizadora e a reinvenção da festa do Divino Espírito Santo

Rogério Luiz de Souza

Resumo


Síntese: As expressões festivas da sociedade brasileira estão inseridas em processos de reinvenção constante, conforme o contexto político-social e os jogos de força dos grupos envolvidos e de suas redes sociais e de seus projetos de utopia. As festas permitem a visibilidade das formas de organização social e reforçam as relações de poder dessa mesma sociedade. As festas públicas não são, portanto, meros espetáculos, mas sim, mecanismos que pesam muito nos equilíbrios e rearranjos políticos e hierárquicos. Assim, pretende-se com esse trabalho analisar a festa do Divino Espírito Santo na cidade de São José, Santa Catarina, sul do Brasil, como espaço revelador das relações de poder de determinados grupos sociopolíticos que se utilizaram desta expressão religiosa para transformar este espaço de festa em uma maquinaria dos corpos em prol de uma política eugênica de miscigenação no contexto da ditadura nacionalizadora de Getúlio Vargas.

Palavras-chave: Catolicismo. Nacionalização. Festa. Eugenia social. Miscigenação.

Abstract: The festive expressions of Brazilian society are embedded in processes of constant reinvention, according to the political-social context and the power games of the groups involved and their social networks and their utopia projects. The feast allow the visibility of the forms of social organization and reinforce the power relations of this same society. The purpose of this work is to analyze the feast of the Divine Holy Spirit in the city of São José, Santa Catarina, southern Brazil, as a revealing space for the power relations of certain socio-political groups that have used this religious expression to transform this space of feast in a machinery of the bodies in favor of a eugenic policy of miscegenation in the context of the nationalizing dictatorship of Getúlio Vargas.

Keywords: Catholicism. Nationalization. Feast. Social eugenics. Misce- genation.


Palavras-chave


Catolicismo; Nacionalização; Festa; Eugenia social; Miscigenação

Texto completo:

PDF

Referências


ALBINO, J.F. A nacionalização no Estado Novo e a ameaça alemã: um olhar em São Pedro de Alcântara (1937-1945). 2001. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2001.

BAKHTIN, M. A cultura popular na Idade Média e no Renascimento: o contexto de Rabelais. São Paulo: Hucitec, 1987.

BESEN, J.A. A Arquidiocese de Florianópolis. Florianópolis: s. ed., 1983. CABRAL, O.R. Nossa Senhora do Desterro. Memória. Florianópolis: Lunardelli, 1979.

CASCAES, F.J. Franklin Cascaes: vida e arte e a colonização açoriano. Entrevistas concedidas e textos organizados por Raimundo C. Caruso. Florianópolis: Ed. da UFSC, 1981.

DA MATTA, R. Carnavais, malandros e heróis: uma sociologia do dilema brasileiro. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.

DUVIGNAUD, J. Festas e civilizações. Fortaleza: Editora da UFC; Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1983.

FLORES, M.B. et al. O grande teatro público – Oktoberfest (A construção cultural de uma festa municipal). Revista Catarinense de História, Florianópolis, v. 03, p. 15-27, 1993.

FOCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de janeiro: Graal, 1990.

GERLACH, G.; MACHADO, O. São José: breve história da cidade e seu teatro. São José, Ed. Canarinho. 1982.

GERTZ, R. O perigo alemão. Porto Alegre: UFRGS, 1991.

GERTZ, R. O Fascismo no Sul do Brasil: Germanismo – Nazismo – Integralismo. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1987.

HEERZ, J. Festas de loucos e carnavais. Lisboa. Publicações Dom Quixote, 1987.

HOBSBAWM, E.; RANGER, T. A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1984.

JORNAL O Apóstolo, Florianópolis, 1930-1945.

LEFORT, C. A invenção democrática: os limites do totalitarismo. São Paulo: Brasiliense, 1987.

LE GOFF, J. História e memória. São Paulo: Unicamp, 1998.

LENHARO, A. A sacralização do poder. São Paulo: Papirus, 1986.

MAFFESSOLI, M. Liberdades intersticiais. In: MORIN, E. et al. A decadência do futuro e a construção do presente. Florianópolis: Ed. UFSC, 1993.

OLIVEIRA, L.L. A questão nacional na Primeira República. São Paulo: Brasiliense, 1990.

PARÓQUIA DE SÃO JOSÉ. Livro Tombo, 1930-1945.

RIVIÈRE, C. As liturgias políticas. Rio de Janeiro: Imago, 1989.

SERPA, É.C. Igreja e poder em Santa Catarina. Florianópolis: Ed. UFSC, 1997.

SOUZA, R.L. de. A construção de uma nova ordem: Catolicismo e ideal nacional em santa Catarina (1930-1945). 1996. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Santa Catarina.

Florianópolis. 1996.




DOI: http://dx.doi.org/10.29386/reb.v77i306.89

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Eclesiástica Brasileira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Instituto Teológico Franciscano
Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil