Paixão da relação – paixão da falta

  • Hadwig Ana Maria Müller
Palavras-chave: Pobreza, Falta.

Resumo

O sofrimento dos pobres se associa muitas vezes a dons relacionais evidentes. O termo “paixão” expressa esse laço entre uma pobreza dolorosamente vivida e uma riqueza humana muitas vezes admirável. Esta experiência – relida aqui a partir da noção lacaniana de “falta” – encontra-se no coração da relação dos pobres para com Deus e de Deus para com os pobres. Mais ainda, ela está no coração de toda escuta, pois não há relação sem escuta, nem escuta sem desejo, e, então, sem falta. A partir disso, deixando-nos guiar pela revelação bíblica acolhida na fé, é possível pressentir algo da vida íntima de Deus, viver diferentemente nossas relações humanas e o dinamismo da missão sobre a base de uma inteligência renovada de Igreja-comunhão.

Abstract: The suffering of the poor often brings in its wake a clear gift for human relations. The term “passion” expresses this connection between a painfully endured poverty and a – sometimes astonishing – human richness. This experience – examined here in the light of the Lacanian concept of “manque” – can be found in the relationship between the poor and God and between God and the poor. Moreover, this experience is at the core of every act of listening, for there is no relationship without listening, no listening without desire and no desire without “manque”. With this in mind, a re-reading of the Bible can help us to have a better understanding of God’s intimate life and, through this, to experience our human relations differently. It can also give us a new insight into the dynamics of a mission that has as basis a renewed vision of the Church as communion.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hadwig Ana Maria Müller

Hadwig Ana Maria Müller (nascidaem1947) é teóloga e psicóloga alemã. Defendeu tese de doutorado em teologia sobre Jacques Lacan e Simone Weil. Trabalhou na pastoral universitária da diocese de Friburgo em Breisgau e de lá partiu em 1983 para o Brasil, permanecendo até 1993 (Aqui seu nome ficou sendo “Ana Maria” – enquanto na Alemanha é normalmente conhecida como “Hadwig”). Durante os primeiros 7 anos, na Zona Leste de São Paulo, colaborou na pastoral das CEBs, na formação de ministros leigos e na organização de grupos do MST urbano; nos últimos anos, na diocese de Crateús, trabalhou sobretudo na criação de uma rede de “escolinhas”, núcleos de alfabetização para adultos.

De volta à Alemanha, seu primeiro projeto foi a elaboração de um livro, base deste artigo. Desde 1997 faz parte do Instituto de Missiologia da Missio em Aachen (Missionswissenschaftliches Institut Aachen). Dentro do trabalho do Instituto – pesquisa e reflexão de teologias contextuais na África, Ásia, América Latina –, iniciou o estudo dos processos de mútua transformação entre Igreja(s) e sociedade também na Europa. Em dois congressos franco-alemães iniciou um diálogo ao qual está querendo dar continuidade neste ano de 2003, em Belo Horizonte, num simpósio trinacional sobre o tema: “Arriscar a fé nas nossas sociedades” (de 7 a 11 de abril de 2003).

Publicado
2003-06-25
Como Citar
Müller, H. A. M. (2003). Paixão da relação – paixão da falta. Revista Eclesiástica Brasileira, 63(249), 5-22. https://doi.org/10.29386/reb.v63i249.1827