v. 79, n. 313 (2019)

Sujeitos eclesiais e paróquia

A REB tem o prazer de apresentar, nesse número, um variado leque de assuntos. Dois deles são realçados: Paróquia e Sínodo Pan-amazônico. Mesmo assim, não de uma maneira sistemática, programada, razoavelmente ampla e diversificada. Permanece o caráter parcial, mesmo se o primeiro vem ainda destacado como um dossiê.

O assunto “paróquia” não aparece prevalentemente como estrutura. Vem tratado, sim, a partir de elementos de eclesiologia e pastoral e de sociologia. Com relação aos dois primeiros, a paróquia é tida como “lugar” eclesial da iniciação cristã e como comunidade de sujeitos eclesiais. Portanto, local de encontro em função de Jesus Cristo (cristã) e da missão. João Fernandes Reinert percorre as recentes orientações da CNBB, reúne e destaca estes traços, característicos de uma comunidade viva e dinâmica. Por sua vez, Gelson Luiz Mikuzska também trabalha elementos de eclesiologia ao entender a comunidade-paróquia como célula da Igreja em missão. Ele organiza sua exposição a partir do discipulado missionário: o cristão, discípulo de Jesus, é um enviado a evangelizar. E, qual a repercussão dessa dinâmica para a paróquia, pergunta-se. O segundo elemento, abordado por Welder Lancieri Marchini, situa a paróquia no contexto da mentalidade urbana, circunstância favorável ao incentivo do ser sujeito da missão, em contextos urbanos.

O segundo assunto em realce é o Sínodo Pan-amazônico. Ele vem considerado enquanto ocasião para se prosseguir e ajustar a ação evangelizadora da Igreja, particularmente naquele contexto sócioambiental. Para isso, reforça-se, em contexto latino-americano, a ministerialidade de toda a Igreja, abordam-se os ministérios, em sua configuração atual e se fazem propostas para agilizar a missão. Hubert Wolf, José Oscar Boezzo, Eliseu Wisniewski e Antônio José de Almeida, de maneira própria e diversificada, abordam esta temática, indicando novos e velhos caminhos.

Além disso, uma fronteira de notáveis possibilidades e debates nos é apresentada por Neiva Maria Garcia Catto De Marchi e Márcio Fabri dos Anjos: a fronteira (com seus contrastes) da relação entre ética, biologia, medicina e desejo. Lida-se com as pessoas, que, buscando a superação dos males, desejam vida plena.

Karen Freme Duarte Sturzenegger, Vera Fátima Dullius e Clélia Peretti conduzem uma interlocução dos leitores com mestres em pensar o ser humano, ser que pergunta e se pergunta. Um percurso por caminhos do humano, por caminhos da liberdade e do sentido!

Por semelhantes caminhos rumam os Centros de ensino superior católico. Como o Magistério eclesiástico tem acompanhado, recolhido e proposto razões de ser do ensino superior católico, qual sua contribuição para o bem da sociedade e/ou das pessoas? João Décio Passos se apresenta para responder.

E, após quase 120 anos, a Rerum Novarum brilha como uma referência, apesar das mudanças ocorridas e em curso nas relações humanas de trabalho. Pois, também nela se abordam aspectos do ser humano que, de certa forma, fazem parte de sua constituição. Vale a pena conferir com Francisco de Aquino Júnior.

Por fim, o renovado convite: cadastre-se – <http://reb.itf.edu.br> – e usufrua das coordenadas editoriais e técnicas da REB.

Elói Dionísio Piva ofm

Redator

Sumário

Expediente
 
PDF
257-260

Dossiê

João Fernandes Reinert
PDF
264-292
Gelson Luiz Mikuszka
PDF
293-312
Welder Lancieri Marchini
PDF
313-335

Temas Variados

Hubert Wolf
PDF
336-348
José Oscar Beozzo
PDF
349-368
Eliseu Wisniewski, Antonio José de Almeida
PDF
369-402
Neiva Maria Garcia Catto De Marchi, Márcio Fabri dos Anjos
PDF
403-425
Karen Freme Duarte Sturzenegger, Vera Fátima Dullius, Clélia Peretti
PDF
426-447
João Décio Passos
PDF
448-467
Francisco de Aquino Júnior
PDF
468-489

Recensões

Recensões
 
PDF
490-511