A contribuição da igreja Católica na trajetória feminina na política brasileira: Da Primeira República à Contemporaneidade

Clélia Peretti, Karen Freme Duarte Sturzenegger

Resumo


O artigo em questão, trata da trajetória do posicionamento da mulher na história política brasileira, que se inicia, mesmo que de forma tímida, no período da Primeira República e vai até a contemporaneidade. Para isso, o artigo discorrerá sobre o papel da mulher na sociedade, o processo de emancipação feminina, suas conquistas, desafios e trajetória no mundo ocidental e no Brasil, destacando a contribuição da Igreja católica para estimular a inserção da mulher no espaço público. Tudo isso, para pleitear, sim, a necessidade de espaço público mais justo e solidário, com respeito e equanimidade, sem preconceitos e cerceamento para todos os cidadãos, mas, de forma especial, para as mulheres.

Abstract: The article in question deals with the trajectory of the position of women in Brazilian political history that begins, even if in a timid manner, in the period of the First Republic and goes to contemporaneity. For this, the article will discuss the role of women in society, the process of women’s emancipation, their achievements, challenges, trajectory, in the Western world and in Brazil. The article will also mention the contribution of the Catholic Church to encourage the insertion of women in public space. It will also reflect on the growing need for a fairer and more solidary space for all citizens, especially for women, where there are no prejudices and constraints, but respect and equanimity.

Keywords: Female emancipation; Women’s rights; Women’s public and private space; Catholic Church.


Palavras-chave


Emancipação feminina; Direito das mulheres; Espaço público e privado da mulher; Igreja católica.

Texto completo:

PDF

Referências


ANPED. Educação não é privilégio. 23ª Reunião Nacional da ANPED.

Anais do evento. Caxambu: ANPED. 2000. Disponível em http://www. anped. org.br/reunioes/23/textos/0217t.pdf>. Acesso em: 04 dez. 2016.

BOURDIEU, P. O Campo Político. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n. 5, 2011.

BUONICORE, A. As mulheres e os direitos políticos no Brasil. Campinhas: Unicamp, 2001. In: MATTOS, J.V.D. de. A educação nacional. 3. ed. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1985.

CASTRO, F.L. de. História do Direito Geral e do Brasil. 5. ed. São Paulo: Lumen Juris, 2007.

CHARTIER, R. O mundo como representação. Estudos Avançados, v. 11, n. 5, 1991.

HAHNER, J.E. A mulher brasileira e suas lutas sociais e políticas: 18501937. São Paulo: Brasiliense, 1981.

JORDAN, D.P. Revolutionary Career of Maximilien Robespierre. New Yoork: Simon and Schuster, 2013.

KARAWEJCZYK, M; MAIA, T. A Igreja católica e o voto feminino no Brasil. Uma questão de poder e influência. Revista Coisas do Gênero, São Leopoldo, v. 2. n. 1. p. 90-104, 2016. Disponível em . Acesso em: 27 abr. 2017.

LEON, A; FILHO, L.A. Tradição e a modernidade: A Igreja católica e a articulação de um novo espaço para as mulheres 1930/1935. 37ª Reunião Nacional da ANPED – 04 a 08 de outubro de 2015. UFSC, Florianópolis. Disponível em . Acesso em: 27 abr. 2018.

MAIA, K. Agora é que são elas! Revista Mátria, v. 10, p. 11-14, 2012.

MENEZES, C.S. de; MACHADO, C.J. dos S.; NUNES, M.L. da S. Mulher e educação na República Velha: transitando entre o discurso histórico e o literário. Educação Unisinos. São Leopoldo, v. 13, n. 1, p. 43-50, 2009.

NOREMBERG, A; ANTONELLO, I. A trajetória feminina na política brasileira. XII Seminário Nacional de Demandas Sociais e Políticas Públicas na Sociedade Contemporânea. Santa Cruz do Sul: Universidade de Santa Cruz do Sul, 2016.

NURIDDIN, A. HIST 1311: World Civilizatio. French Revolution. Disponível em . Acesso em: 14 out. 2017.

PENA, R. A importância da mulher na sociedade. Brasil Escola. Disponível em . Acesso em: 14 out. 2017.

ROCHA-COUTINHO, M.L. A mulher no Brasil. In: ROCHA-

COUTINHO M.L. Tecendo por trás dos panos: a mulher brasileira nas relações familiares. Rio de Janeiro: Rocco, 1994. p. 66-125.

SANDRONI, P. Revoluções burguesas. In: ID. Dicionário de economia do século XXI. 5. ed. São Paulo: Best Seller, 1989. p. 275.

SCHAFFRATH, M. dos A.S. Profissionalização do magistério feminino: uma história de emancipação e preconceitos. In: ANPED. Educação não é privilégio. 23ª Reunião Anual da ANPED. Anais do evento. Caxambu: ANPED. 2000. Disponível em . Acesso em: 04 dez. 2016.

SILVA, L. Contribuições Feministas para o pensamento político brasileiro: As sufragistas nos anos 1920. Disponível em . Acesso em: 25 abr. 2018.

SOUZA, M.; AMORIM, D. A participação feminina na política amazonense: o que mudou para as mulheres? Manaus, Centro Universitário do Norte; Uninorte, 2014.

SOUZA, R. Identidade nacional e modernidade brasileira. Diálogo entre Sílvio Romero. Euclides da Cunha, Câmara Cascudo e Gilberto Freyre. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

VARES, S. A dominação na República Velha: uma análise sobre os fundamentos políticos do sistema oligárquico e os impactos da Revolução de 1930. Revista História: Debates e Tendências, Passo Fundo, v.11, n. 1.

(Publicado no 1° semestre de 2012).




DOI: http://dx.doi.org/10.29386/reb.v78i310.783

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Eclesiástica Brasileira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Instituto Teológico Franciscano
Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil