A discrição da Igreja católica em torno do planejamento familiar e a consciência dos fiéis

Luiz Fernando de Lima, Mário Antônio Sanches

Resumo


Síntese: A discrição em torno do planejamento familiar e a consciência dos fiéis advinda da posição da Igreja católica em questões de planejamento familiar é o tema principal deste texto. Para tanto, parte-se de um levantamento teórico em abalizados teólogos do século XX e XXI e de uma pesquisa de campo realizada, em 2013, na Diocese de Jacarezinho (PR), entre os agentes de pastoral das comunidades eclesiais. Intenciona-se, a partir deste caminho, evidenciar que, depois de toda a agitação que envolveu a Humane Vitae e suas declarações há algumas décadas atrás, hoje, se percebe outro movimento: uma perigosa discrição sobre o assunto, a partir da qual o momento pastoral atual se apresenta um tanto quanto confuso.

Palavras-chave: Planejamento Familiar. Discrição eclesial. Humanae Vitae. Pastoral.

Abstract: The discretion around the family planning and conscience of the faithful of the Catholic Church arising from the position in family planning issues is the main theme of this article. It recognizes is a theoretical survey of authoritative theologians of the twentieth and twenty-first century and a field research conducted in 2013 in the diocese of Jacarezinho (PR) among pastoral workers of the ecclesial communities. It is intended from this path, to show that after all the turbulence that involved the Humane Vitaeand its statements a few decades ago, today it is noticed another movement: a dangerous discretion on the subject, from which the current pastoral moment appears somewhat confused.

Keywords: Family planning. Church discretion. Humanae Vitae. Pastoral.


Palavras-chave


Planejamento Familiar; Discrição eclesial; Humanae Vitae; Pastoral

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, J.C.; MANZINI, R.; MAÇANEIRO, M. (Org.). As janelas do Vaticano II: a Igreja em diálogo com o mundo. Aparecida: Santuário, 2013.

BAUMAN, Z. Tempos Líquidos. Trad. de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.

SANTOS, B.B. A concepção personalística do Matrimônio e a Humanae Vitae. Revista de Cultura Vozes, Petrópolis, v. 62, n. 11, p. 976-986, 1968.

_______. Sentido e moralidade do planejamento familiar. Petrópolis, Revista de Cultura Vozes, v. 62, n. 5, p. 387-400, 1968

CONGREGAÇÃO PARA A DOUTRINA DA FÉ. Instrução “Dignitas

Personae” sobre algumas questões de Bioética. Brasília: Edições CNBB, 2008.

_______. Instrução sobre o respeito à vida humana nascente e a dignidade da procriação. São Paulo: Paulinas, 1987.

CONCÍLIO VATICANO II. Constituição Pastoral Gaudium et Spes. In: Compêndio do Vaticano II: constituições, decretos, declarações. 28. ed. Petrópolis: Vozes, 2000.

DIAS, J. de Las T. Diversos paradigmas em torno do planejamento familiar: do senador romano Metelo ao método Ogino. In: SANCHES,

Mário Antônio (Org.). Bioética e planejamento familiar: perspectivas e escolhas. Petrópolis: Vozes, 2014, p. 25-47.

EPISCOPADO BELGA. Declaração do Episcopado belga sobre a

Humanae vitae. Revista de Cultura Vozes, Petrópolis, v. 62, n. 11, p. 10202023, 1968.

HAERING, B. Apostilas episcopales para integrar la Humanae Vitae. In: RAHNER, Karl. Reflexiones en torno a la Humanae vitae. Madrid: Paulinas, 1968.

_______. Paternidad responsable. Madrid: Paulinas, 1971.

HARADA, H. Humanae vitae, uma chance? Petrópolis, Revista de Cultura Vozes, Petrópolis, v. 62, n. 11, p. 1014-2017, 1968.

HOBSBAWM, E. A Era dos Extremos: o breve do Século XX, 19141991. 2. ed., 26. reimpressão. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

HORTELANO, A. El amor y la família en las nuevas perspectivas cristianas. Salamanca: Sígueme, 1974.

JOÃO PAULO II. Carta Encíclica Evangelium Vitae. São Paulo: Paulus, 1995.

KOOP, P.P.; RADEMAKERS, H.; BEOZZO, J.O. A Encíclica Huma-

nae vitae: análise dos argumentos. Revista de Cultura Vozes, Petrópolis, v. 62, n. 11, p. 987-995, 1968.

LIBANIO, J.B. Cenários da Igreja. São Paulo: Loyola, 2001.

_______. Concílio Vaticano: em busca de uma primeira compreensão. São Paulo: Loyola, 2005.

McLAREN, A. Historia de los anti-conceptivos. Madrid: Minerva, 1993.

MOSER, A. A paternidade responsável face a uma mentalidade contraceptiva.

ed. Petrópolis: Vozes, 1982.

_______. Planejamento familiar atual na Igreja Católica: do ruído estrondoso a um silêncio perturbador. In: SANCHES, Mário Antônio (Org.). Bioética e planejamento familiar: perspectivas e escolhas. Petrópolis: Vozes, 2014, p. 59-70.

_______. Teologia Moral: questões vitais. Petrópolis: Vozes, 2004.

PAULO VI. Carta Encíclica Humanae Vitae. 12. ed. São Paulo: Paulinas, 2010.

PIGHIN, B.F. Os fundamentos da moral cristã: manual de ética teológica. Trad. de José Joaquim Sobral. São Paulo: Ave Maria, 2005.

RAHNER, K. Reflexiones en torno a la Humanae Vitae. Madrid: Paulinas, 1968.

RICCI, L.A.L. Planejamento familiar à luz da ética teológica. In: SANCHES, Mário Antônio (Org.). Bioética e planejamento familiar: perspectivas e escolhas. Petrópolis: Vozes, 2014.

SALZMAN, T.A.; LAWLER, M.G. A pessoa sexual: por uma antropologia católica renovada. Trad. de Luzia Araújo. São Leopoldo: Unisinos, 2012.

SANCHES, M.A. (Org.). Bioética e planejamento familiar: perspectivas e escolhas. Petrópolis: Vozes, 2014.

_______. Reprodução assistida e bioética: Metaparentalidade. São Paulo: Ave Maria, 2013.

SOLIS-PONTON, L. (Org.). Ser pai, ser mãe – Parentalidade: um desafio para o terceiro milênio. Trad. de Maria Cecília Pereira da Silva. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2004.

_______; BECERRA, T.L.; MALDONADO-DURÁN, M. La cultura

de la parentalidad – antídoto contra la violencia y la barbarie. México/ Bogotá: Manual Moderno, 2006.

VAZ, H.C.L. Antropologia Filosófica. 11. ed. São Paulo: Loyola, 2011.

WOJTYLA, K. Amor e Responsabilidade: estudo ético. Trad. de João Jarski e Lino Carrera. São Paulo: Loyola, 1982.




DOI: http://dx.doi.org/10.29386/reb.v75i299.307

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Eclesiástica Brasileira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Instituto Teológico Franciscano
Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil