Reacionarismo católico ontem, hoje e sempre... Os “vencidos” do catolicismo na modernidade

Emerson José Sena da Silveira

Resumo


O presente artigo analisa o reacionarismo entre os católicos no século XX. Baseado em uma metodologia ensaístico-bibliográfica, argumenta que as organizações contemporâneas que defendem um catolicismo e uma Igreja voltados para a ênfase em guerras da moral e da cultura (campanha antiaborto e contra o casamento LGBTQIA+), podem ser vistas como complexas heranças conservadoras mescladas às linguagens midiáticas modernas que articulam a fé religiosa reacionária num passado idolátrico e a ação público-política em uma finalidade: apontar o futuro como hierofania do modus vivendi reacionário. 

 

Abstract: This paper analyses the presence of reactionarism among Catholics on the twentieth century. Based on a bibliographic-essayist methodology, one proposes the premise that contemporary Catholicism-advocating organizations, with an emphasis on the cultural and moral Catholic wars – i.e. anti-abortion campaigning, anti-LGBTQIA+ marriage campaigning; can be perceived as complex conservative inheritances mixed with contemporary media languages that articulate reactionary religious belief in an idolatrous past and public and political actions with a specific purpose, pointing to the future as a hierophany of the reactionary modus vivendi.

Keywords: Catholic reactionarism; Catholic moral war; Contemporaneity and Catholicism.


Palavras-chave


Reacionarismo católico; Guerra moral católica; Modernidade e catolicismo.

Texto completo:

PDF

Referências


ÁGAPE, D; PINHEIRO, M. Arautos do Evangelho: MP investiga novas denúncias de abuso sexual. Metrópoles. Disponível em: . Acesso em: 24 out. 2019.

ALMEIDA, R. de; TONIOL, R. (Org.). Conservadorismos, fascismos e fundamentalismos: análises conjunturais. São Paulo: UNICAMP, 2018.

ARAUTOS DO EVANGELHO. 22 de fevereiro: há 13 anos atrás Beato João Paulo II aprovava e reconhecia os Arautos do Evangelho. 21 fev. 2014. Disponível em: . Acesso em: 24 out. 2019.

AZZI, R. A instituição eclesiástica durante a primeira época colonial. In: HOORNAERT, E. et al. História da Igreja no Brasil. t. 2. Petrópolis: Vozes, 1977. p. 160-169.

AZZI, R. A neocristandade: um projeto restaurador. São Paulo: Paulus, 1994.

ANTOINE, C. O integrismo brasileiro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

BEOZZO, J.O. A Igreja entre a Revolução de 1930, o Estado Novo e a Redemocratização. In: FAUSTO, B. (Org.). História geral da civilização brasileira. t. III. São Paulo: Difel, 1984.

BETTO, Frei. O que é Comunidade Eclesial de Base. São Paulo: Brasiliense, 1985.

BOFF, L. Igreja, carisma e poder. Petrópolis: Vozes, 1981.

BOFF, L. O Caminhar da Igreja com os oprimidos: do vale de lágrimas à terra prometida. Petrópolis: Vozes, 1998.

BORGES, G. Episcopado católico versus 3º Programa Nacional de Direitos Humanos: Uma análise dos atuais discursos eclesiásticos sobre sexo e reprodução. Religião & Sociedade, Rio de Janeiro, v. 39, n. 2, p. 31-48, ago. 2019. Disponível em: . Acesso em: 24 out. 2019.

CASANOVA, J. O problema da religião e as ansiedades da democracia secular europeia. Revista de Estudos da Religião, São Paulo, p. 1-16, dezembro, 2010. Disponível em: . Acesso em: 24 out. 2019

CALDEIRA, R.C. O Influxo ultramontano no Brasil e o pensamento de Plínio Corrêa de Oliveira. Dissertação (Mestrado em Ciência da Religião). Programa de Pós-Graduação em Ciência da Religião, Instituto de Ciências Humanas e De Letras, Universidade Federal de Juiz de Fora, 2005.

CALDEIRA, R.C. Os baluartes da tradição: o conservadorismo católico brasileiro no Concílio Vaticano II. Curitiba: CRV, 2011.

CAZETTA, F.A. Charles Maurras e o surgimento do integralismo lusitano. Teorias e apropriações doutrinárias. Revista Cantareira, edição 17, p. 20-56, jul./dez. 2012. Disponível em: . Acesso em: 24 out. 2019.

COELHO, A.S. Entre acusações e perplexidades: o anticapitalismo e o Papa Francisco. Revista Caminhos, Goiânia, v. 16, n. 1, p. 63-81, jan./ jun. 2018. Disponível em: . Acesso em: 24 out. 2019 COSTA, J.B. de A.P.F. Charles Maurras e Jair Bolsonaro. Capela Santa Maria das Vitórias. Missa no rito romano tradicional em Anápolis. Anápolis: Associação Civil Santa Maria das Vitórias. Disponível em: . Acesso em: 24 out. 2019.

CPDOC/FGV. Anos de Incerteza (1930-1937) – Ação Integralista Brasileira. Disponível em: . Acesso em: 24 out. 2019.

FAGGIOLI, M. True reform: Liturgy and ecclesiology in Sacrosanctum Concilium. Collegeville: Pueblo Books, 2012.

G1. Papa nomeia Cardeal Damasceno como interventor para o Arautos do Evangelho, grupo tradicionalista católico. 28 set. 2019. Disponível em: . Acesso em: 24 out. 2019.

GAMA, V. A. O leão e o sigma: a crítica de Plinio Corrêa de Oliveira ao movimento integralista. Anais do Encontro Internacional e XVIII Encontro de História da Anpuh: História e Parcerias. Rio de Janeiro.

Disponível em: Acesso em: 04 nov. 2019.

GUTIÉRREZ, G. Teologia da Libertação. 3. ed. Petrópolis: Vozes. 1979.

LIMA, A.A. O Cardeal Leme: um depoimento. Rio de Janeiro: José Olympio, 1943.

LEVITSKY, S. Como as democracias morrem. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

LIMA, L. de S. Plínio Corrêa de Oliveira. Um cruzado no século XX. Dissertação (Mestrado em História). Universidade de São Paulo, São Paulo, 1984.

LÖWY, M. A guerra dos deuses: religião e política na América Latina. Petrópolis: Vozes, 2000.

LUNA, N.; OWSIANY, L. Aborto e luta por direitos humanos na ALERJ: religiosos e feministas em disputa. Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, v. 39, n. 2, p. 49-77, ago. 2019. Disponível em: . Acesso em: 24 out. 2019.

MAIA, P. A. História das congregações marianas no Brasil. São Paulo: Loyola, 1992.

MATTEI, R. de. O cruzado do século XX: Plínio Corrêa de Oliveira. Porto: Civilização, 1996.

MBEMBE, A. Necropolítica. Biopoder, soberania, estado de exceção, política de morte. 2. ed. São Paulo: n-1 Edições, 2018.

MISSA DE SÃO PIO V (A). Texto da Bula Quo Primum Tempore. Comentário histórico e canônico do Pe. Raymond Dulac. Niterói: Permanência, 2005.

MONTERO, P. Religião, pluralismo e esfera pública no Brasil. Novos Estudos – Cebrap, São Paulo, n. 74, p. 47-65, 2006.

MOURA, O. Ideias católicas no Brasil: direções do pensamento católico no Brasil no século XX. São Paulo: Convívio, 1978.

PORTELLA, R. Saudades da civilização católica: integrismo, tradicionalismo e exclusivismo no catolicismo contemporâneo. Revista Brasileira de História das Religiões, Maringá, v. 5, n. 15, 2013. Disponível em: . Acesso em: 19 out. 2019.

PORTELLA, R. Ser Católico é Ser Exclusivista? Reflexões e provocações sobre um fenômeno” Moderno”. Mediações-Revista de Ciências Sociais, v. 18, n. 1, p. 257-270, 2013.

OLIVEIRA, P.C. de. Em defesa da Ação Católica. São Paulo: Ave Maria, 1943.

OLIVEIRA, P.C. de. Revolução e contra-revolução. Revista Catolicismo, São Paulo, n. 100, p. 2-12, março de 1959.

OLIVEIRA, P.C. de; SOLIMEO, G.; SOLIMEO, L. As CEBs… das quais muito se fala, mas pouco se conhece. A TFP as descreve como são. São Paulo: Vera Cruz, 1982.

RIBEIRO, M.V. da S. O catolicismo de rito tridentino em Anápolis (GO): a sobrevivência de uma religião tradicional. In: I SIMPÓSIO

CENTRO-OESTE DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE HISTO-

RIA DAS RELIGIÕES (ABHR). I Simpósio nacional de estudos da religião da Universidade Estadual de Goiás. Cidade de Goiás: Universidade Estadual de Goiás, 2019. Disponível em: . Acesso em: 04 nov. 2019. SALES, L.; MARIANO, R. Ativismo político de grupos religiosos e luta por direitos. Religião & Sociedade, Rio de Janeiro, v. 39, n. 2, p. 9-27, agosto de 2019. Disponível em: . Acesso em: 19 out. 2019.

SILVEIRA, E.J.S. da. Guerra cultural católica: política, espaços públicos e lideranças eclesiásticas. In: SILVEIRA, E.J.S. da; MORAES JR, M.R. de (Org.). Religião, política e espaço público: discussões teóricas e investigações empíricas. São Paulo: Fonte Editorial, 2015. p. 11-48.

SILVEIRA, E.J.S. da. Glossolalias, justiça social e báculos episcopais – narrativas míticas entre carismáticos, progressistas e conservadores. In: SILVEIRA, E.J.S. da; SAMPAIO, D.S. (Org.). Narrativas míticas: análise das histórias que as religiões contam. Petrópolis: Vozes, 2018. p. 2570. v. 1.

VIRGO FLOS CARMELI. Aprovação Pontifícia da Sociedade Virgo Flos Carmeli. Disponível em: . Acesso em: 24 out. 2019.

VIRGO FLOS CARMELI. Atividades. Disponível em: . Acesso em: 24 out. 2019.

VIRGO FLOS CARMELI. Histórico e atualidade do IFAT e do ITTA. Disponível em: . Acesso em: 24 out. 2019.

ZANOTTO, G. TFP. Tradição, Família e Propriedade. As idiossincrasias de um movimento católico no Brasil (1960-1995). Passo Fundo: Méritos, 2012.

ZANOTO, G. Reconstruindo as vivências: a memória emergente de um egresso da TFP. Fronteiras: Revista Catarinense de História, Florianópolis, v. 12, p. 19-38, 2004.

ZANOTTO, G.; CALDEIRA, R.C. Facetas do tradicionalismo católico. Revista Brasileira de História das Religiões, São Paulo, v. 16, p. 03-06, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.29386/reb.v79i314.1903

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Eclesiástica Brasileira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Instituto Teológico Franciscano
Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil