Experiências X teologias (macro)ecumênicas. Uma articulação necessária

Francisco de Aquino Júnior

Resumo


Entre a práxis e a teoria (macro)ecumênicas existe uma relação estreita e constitutiva: toda práxis é portadora de uma teoria mais ou menos consciente, mais ou menos elaborada; e toda teoria emerge de uma práxis (real ou hipotética) e a ela remete. Levar a sério esta relação é fundamental tanto para o fortalecimento e aprofundamento da práxis (macro)ecumênica, quanto para a fecundidade da teologia (macro)ecumênica. Ambas as realidades, práxis e teologia, encontram no pobre e no seu processo de libertação o lugar adequado e o critério último de realização e verificação.

Abstract: There is a close and constitutive relationship between the (macro)ecumenical praxis and its theory: every praxis carries with it a more or less conscious, more or less elaborated, theory; and every theory arises from a praxis (real or hypothetical) and refers to it. The respect for this relationship is an essential condition both for the strengthening and deepening of the (macro)ecumenical praxis and for the creative productiveness of the (macro)ecumenical theology. Both realities, praxis and theology, find in the poor and in their process of liberation the appropriate locus and the ultimate criterion of realization and verification.


Palavras-chave


Ecumenismo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.29386/reb.v65i257.1679

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Eclesiástica Brasileira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Instituto Teológico Franciscano
Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil