Sobre o protagonismo laical do catolicismo popular: pistas para reflexão

José Reinaldo Felipe Martins Filho

Resumo


Este artigo tenta suscitar algumas pistas de reflexão sobre o protagonismo laical presente no catolicismo popular brasileiro, tendo como mote superar uma leitura meramente dicotômica e de oposição entre as esferas do oficial e do popular. Vale-se, para isso, de conceitos já consolidados pelas pesquisas em Teologia e Ciências da Religião, bem como de suas interfaces com a Antropologia, a Filosofia e a Sociologia. Entre as principais características do catolicismo popular que apontam para o protagonismo dos leigos estão a dimensão comunitária, a capacidade de ressignificação espaçotemporal e identitária e a ausência de intermediadores na relação entre céu e terra, como é o caso dos santos. Trata-se de um vasto e rico horizonte a ser explorado, cuja contribuição também alcança nossas atuais discussões sobre a identidade dos cristãos leigos. 

Abstract: The present article is an attempt to rise some reflecting clues on the lay protagonism presents in the Brazilian popular Catholicism, aiming at overcoming a merely dichotomous reading and opposition between official and popular spheres.  In this way, it is worth to recur to concepts already established by researches in Theology, Religion Science, as well as their interfaces with Antropology, Philosophy and Sociology. Among the main characteristics of popular Catholicism that point out in the direction of the lay Christian  are communitarian dimention, capacity of  identity espacio-temporal resignification and the absence of mediators such as saints, in the relationship between  Heaven and Earth. The subject matter, whose contribution meets our current discussions  about identity and lay Christians, is of great amplitude and still needs to be explored in depth.

Keywords: Lay protagonism; Popular Catholicism; Identity.



Palavras-chave


Protagonismo laical; Catolicismo popular; Identidade.

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, G. O que é um povo? Análise de uma fratura biopolítica. Tradução de Davi Pessoa. In. Folha de São Paulo, São Paulo, 16 de novembro de 2014.

AMARAL, R. As mediações culturais da festa. Revista Mediações, Londrina, v. 3, n. 1, p. 13-22, 1998.

AZZI, R. Formação histórica do catolicismo popular brasileiro. In: SANTOS, B. et. al. A religião do povo. São Paulo: Paulinas, 1978.

BAKHTIN, M.M. A cultura popular na Idade Média e no Renascimento: o contexto de François Rabelais. Tradução de Yara Frateschi Vieira. São Paulo: Hucitec, 2010 (Linguagem e Cultura 12).

BERGER, P. L. O dossel sagrado: elementos para uma teoria sociológica da religião. Tradução de José Carlos Barcellos. São Paulo: Paulinas, 1985 (Sociologia e religião 2).

BITTENCOURT FILHO, J. Matriz religiosa brasileira: religiosidade e mudança social. Petrópolis: Vozes; Rio de Janeiro: Koinomia, 2003.

BOAS, F. Antropologia cultural. Tradução de Celso Castro. Rio de Janeiro: Zahar, 2004 (Antropologia social).

CANCLINI, N.G. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. Tradução de Heloísa Pezza Cintrão, Ana Regina Lessa; tradução da introdução de Gênese Andrade. 4. ed. 5.reimp. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2011 (Ensaios Latino-americanos 1).

CASTRO, Z; COUTO, A.P. Folias de Reis. Instituto Nacional do Folclore. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Folclore; MEC-SEC; FUNARTE, 1977.

CAZENEUVE, J. Sociologia do Rito. Tradução de M.L. Borralho. Porto: RÉS, s/d.

CESAR, W. O que é “popular” no catolicismo popular. Revista Eclesiástica Brasileira, Petrópolis, v. 36, n. 141, p. 5-18, 1976.

CHUPUNGCO, A.J. Inculturação Litúrgica: sacramentais, religiosidade e catequese. São Paulo: Paulinas, 2008 (Coleção celebrar e viver a fé).

CONFERÊNCIA EPISCOPAL LATIONAMERICANA E CARIBENHA. Documento de Puebla. Disponível em . Acesso em: 25 jan. 2018.

COSTA, L. (Org.). Documentos do Concílio Ecumênico Vaticano II (1962-1965). Paulus: São Paulo, 1997 (Documentos da Igreja 1).

ELIADE, M. O sagrado e o profano. Tradução de Rogério Fernandes. São Paulo: Martins Fontes, 1992 (Tópicos).

FRANCISCO, Papa. Evangelii Gaudium. Disponível em . Acesso em: 01 jan. 2018.

GALILEA, S. Religiosidade popular e pastoral. Tradução de Benôni Lemos. São Paulo: Paulinas, 1978 (Teologia hoje).

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1989 (Antropologia Social).

MALINOWSKI, B. Magia, ciência e religião. Tradução de Maria Georgina Segurado. Lisboa: Edições 70, 1988.

O’DEA, T.F. Sociologia da Religião. Tradução de Dante Moreira Leite. São Paulo: Pioneira, 1969.

OLIVEIRA, P.A.R. de; ARAÚJO, M. das G.F. Pequenos Santos: uma devoção familiar. PLURA, Revista de Estudos da Religião, v. 2, n. 1, p. 80-100, 2011.

OTTO, R. O Sagrado: um estudo do elemento não-racional na ideia do divino e a sua relação com o racional. Tradução de Prócoro Velasques Filho. São Bernardo do Campo: Imprensa Metodista, 1985.

STEIL, C.A. Catolicismo e cultura. In. VALLA, V.V. (Org.). Religião e cultura popular. Rio de Janeiro: DP&A, 2001. p. 9-40 (O sentido da escola 17).

VAN DER POEL, F.H. Dicionário da religiosidade popular: cultura e religião no Brasil. Curitiba: Nossa Cultura, 2013.

VERÍSSIMO, E. O Tempo e o vento: o continente. 3. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

VILHENA, M.A. A religiosidade popular à luz do Concílio Vaticano II. São Paulo: Paulus, 2015 (Coleção Marco Conciliar).

WACH, J. Sociologia da religião. Tradução de Attílio Cacian. São Paulo: Paulinas, 1990 (Coleção sociologia e religião).

WEBER, M. A ética protestante e o espírito do capitalismo. Tradução de José Marcos Mariani de Macedo. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.29386/reb.v78i311.1401

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Eclesiástica Brasileira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Instituto Teológico Franciscano
Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil